top of page

Tinha um árbitro no meio do caminho


Foto: Pedro Paulo Diaz/ TenClicks


Por Bismarck Rodrigues


No último sábado, o Timão foi à Umuarama enfrentar a equipe da cidade pela Liga Nacional de Futsal, apesar de ter sido o fim de semana do dia dos namorados, o Timão teve um péssimo encontro na cidade paranaense. Foi duramente derrotado, 5 a 1, e ainda de quebra se deparou com uma asa negra de longa data, a arbitragem.

A partida estava empatada em 1 a 1, quando aconteceu o lance que mudou o rumo do jogo. Em rápido contra ataque paranaense, Jotinha finalizou e Levi se jogou na frente da bola, que bateu em seu rosto. O arbitro Marcio Elechandre Carneiro marcou pênalti, alegando que a bola bateu no braço do corinthiano. Por ser o ultimo jogador e uma chance clara de gol, foi expulso o cearense.

Esse não foi o primeiro lance polêmico da arbitragem contra o alvinegro, pela 7ª rodada, em Sorocaba, o goleiro Lucas Oliveira foi expulso pelo arbitro Rodrigo Pires, após uma trombada dois passos fora da área. A decisão polêmica fez com o que o Corinthians jogasse quase 2 minutos com um a menos, acabou tomando o gol faltando poucos segundos, e teve com atuar com o goleiro reserva durante praticamente todo o jogo.

Em comum, os dois lances foram decisivos para os jogadores do Corinthians se perderem mentalmente e sofrerem duras derrotas fora de casa. O treinador corinthiano, Deividy Hadson fala que prepara a equipe para momentos como esses mentalmente, mas que a situação não deixa de ser complicada. “O time precisa reestabelecer a parte emocional, até porque não tem como voltar atrás e precisa correr para buscar o resultado”.

A parte mental do Corinthians precisa inclusive ser trabalhada para evitar as expulsões. O Timão é 2ª equipe com mais expulsões na liga, um total de 4, atrás apenas do Marechal que tem uma a mais. Em contra partida, é a equipe que menos faz faltas, 67 em toda a competição. Isso mostra que os jogadores estão sendo expulsos em jogadas duras e pontuais.

E a solução para evitar esse tipo de erro já é conhecida, inclusive utilizada no futsal, a arbitragem de vídeo. Em consulta a Liga Nacional de Futsal, a informação é que a ferramenta tecnológica “já está em estudo”, já o departamento de futsal alvinegro já se posicionou a favor do VAR, “O clube entende que há meios para esta implantação e que este recurso poderia evitar muitos erros durante a competição”.

Vale lembrar que, como um dos atores do esporte, a arbitragem também foi incorporada pela CBF nos últimos tempos, que a partir desse ano começa a gerir a modalidade e ser responsável pela gestão das competições. Questionada sobre as exigências para estar no quadro de árbitros da LNF, a confederação explicou. “Alguns árbitros são pertencentes a esse quadro e outros já estiveram nesse quadro nacional. Alguns membros também são árbitros/assistentes da CBF que já atuavam no futsal”, explica Renata Leite, coordenadora de arbitragem de Futsal da CBF.

E reforça que, mesmo que recente, a CBF já realiza um acompanhamento da arbitragem semanalmente com feedback e, em alguns casos, após os jogos também acontece um retorno sobre como foi a partida. Além disso, no começo da temporada ter sido ministrada um curso FIFA com mais de 60 participantes e na sequencia um curso de atualização das regras do jogo.

O Futsal brasileiro ainda tem uma longa caminhada em busca de um real profissionalismo e seriedade, mas dar esse passo já parece estar no radar de clubes e confederações, afinal não há mais espaço para falhas grotescas na modalidade mais praticada em território tupiniquim.


Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page