top of page

Uma Vitória que Merecia Mais Respeito: Crítica ao Horário e à Transmissão do Jogo das Brabas do Corinthians

Na 7ª rodada do Campeonato Paulista de Futebol Feminino, as Brabas do Corinthians enfrentaram a Ferroviária no estádio do Canindé, em um jogo que marcou a substituição do estádio Alfredo Schürig devido a reformas no gramado. A partida terminou com uma vitória suada por 2 a 1 para o Corinthians. Neném abriu o placar para a Ferroviária logo aos 2 minutos do primeiro tempo, mas Eudimilla, aos 34 minutos, empatou para o Corinthians. Letícia Santos, em um momento de puro brilho, garantiu a vitória com um gol aos 43 minutos do segundo tempo.


Esse emocionante embate, no entanto, foi ofuscado por decisões lamentáveis fora de campo. A escolha do horário das 17h em plena segunda-feira e a transmissão exclusiva em canais pagos, como a SporTV, revelam um profundo desrespeito tanto pelas jogadoras quanto pelos torcedores. O futebol feminino merece uma programação que permita o acesso e a celebração de momentos importantes como esse por um público mais amplo e diversificado.


Em contraste com a decisão lamentável das emissoras de televisão, a Rádio Coringão brilhou ao oferecer uma transmissão gratuita e envolvente para todos os torcedores. Demonstrando um compromisso exemplar com o futebol feminino e com os apaixonados pelo Corinthians, a Rádio Coringão transformou cada lance da partida em uma experiência emocionante e vibrante. Com uma narração cheia de paixão e energia, a rádio fez jus à tradição do futebol pelo rádio, capturando a essência e a emoção do confronto com a Ferroviária. Enquanto muitos se frustravam com a falta de acessibilidade televisiva, a Rádio Coringão entregou uma cobertura espetacular, garantindo que cada torcedor, independentemente de onde estivesse, pudesse acompanhar e vibrar com a vitória suada das Brabas. A Rádio Coringão não apenas manteve viva a magia do futebol pelo rádio, mas também reforçou seu papel essencial na democratização do esporte.


Realizar uma partida em um horário tão inadequado para o público-alvo é uma decisão que prejudica não apenas os torcedores, mas também o desenvolvimento do futebol feminino. Em um período de intensa atividade comercial e educacional, a maioria dos fãs não pôde acompanhar ao vivo a vitória das Brabas. Isso reflete um desinteresse flagrante em promover o esporte feminino e garantir que suas histórias sejam contadas e apreciadas pelo maior número possível de pessoas.


Além disso, a restrição da transmissão aos canais pagos agrava ainda mais a situação. Com essa decisão, a rede Globo e o SporTV limitam o acesso ao jogo, privando um público mais amplo de assistir a um futebol de qualidade. Em vez de aproveitar a oportunidade para democratizar o esporte e inspirar novos fãs, a transmissão exclusiva em canais pagos apenas reforça barreiras de acesso, prejudicando a visibilidade e a popularidade do futebol feminino.


A Federação Paulista de Futebol e as emissoras precisam rever essas políticas. As jogadoras merecem horários que respeitem o público e transmissões que alcancem um número maior de espectadores. Só assim poderemos valorizar verdadeiramente o esporte feminino e garantir que partidas como a vitória das Brabas do Corinthians recebam o reconhecimento e o respeito que merecem.


Em resumo, enquanto as Brabas do Corinthians brilham em campo, a luta pela visibilidade e pelo respeito ao futebol feminino continua. É hora de a Federação Paulista de Futebol e as emissoras de televisão agirem com a seriedade que o futebol feminino exige.

Comments


bottom of page