top of page

12 horas com Andre



31 de outubro de 2017


Este foi um dos dias mais esperados da minha vida. Depois de ter que adiar o encontro com o convidado duas vezes, finalmente teria a melhor entrevista da história do Timão Metal.


Eram 20h30 aqui no Chile (21h30 hora oficial do Parque São Jorge) e pelo Skype acaba a ansiedade e a espera. Ele estava falando comigo nos bastidores do programa. O entrevistado era o grande Maestro do Metal, Andre Coelho Matos, ou simplesmente Andre Matos.


Uma mistura de emoção e nervosismo para que tudo saísse sem erro estava na minha cabeça. Por norma, nunca faço uma pauta de entrevista para os meus convidados, sempre escolhi um método para a conversa fluir. O Andre comentou que se sentia mais à vontade desta maneira, sem pauta. Ele não gostava de entrevistas esquematizadas como sempre teve. Além disso, tínhamos a vantagem de não estar preso na duração estrita do programa. Havia combinado a duração de, no mínimo, uma hora e quando ele me avisasse. No entanto, jamais imaginei que o programa duraria cinco horas e quarenta minutos.


No começo, ele solta uma pérola que deu um aperitivo de como seria todo o programa:


“É mais fácil achar uma pepita de ouro no meio da rua, que o mundial do Palmeiras”.


A chave do sucesso da conversa pode ter sido a opção de não mencionar brigas e conflitos durante a carreira e em outros grupos, todo mundo já sabia dessas tretas por revistas de rock e de intriga, que você lê quando tem dor de barriga (Muita estrela, pouca constelação – Camisa de Vênus e Raul Seixas). Como nunca fui adepto da fofoca, e o fato de ter voltado a morar no Chile em 2000, soube durante a entrevista que o Andre havia namorado a Penélope Nova, filha do grande rockeiro baiano, Marcelo Nova.


Logo depois começamos a falar da grande paixão em comum, o GLORIOSO Corinthians. Nesse momento em que tratávamos do Timão, Matos contou em que locais estava acompanhando os jogos da Libertadores e a final do Mundial de 2012. Descobrimos que ele assistiu em um bar na Noruega, país em que o maestro estava trabalhando na turnê Turn on the lights.


Nessas quase seis horas, junto ao assunto Corinthians, conversamos sobre as bandas em que ele esteve. Viper, Angra, Shaman, Virgo e Symfonia. Além de falar da participação do grande projeto Avantasia, onde com ele sairam duas obras primas, The Metal Opera I e II. Contou-me também, rindo bastante, o fiasco durante um show do Avantasia aqui no Chile. Andre bebeu uma quantidade exagerada de pisco sour e vinho no camarim, enquanto esperava entrar para cantar a música de encerramento, "Sign of the Cross". Ao tentar voltar ao palco, tropeçou na escada, deixou o microfone cair e quase desabou do palco. Bem humorado, disponibilizou a mim o link do vídeo no Youtube e me fez prometer que, quando nos encontrássemos no Chile, eu não deveria lhe oferecer pisco sour.


Concluída a entrevista, ficamos conversando mais sete horas, da vida, do seu filho. Daí em diante, virei o entrevistado, falando da história da Rádio Coringão, emissora que Matos passou a ouvir enquanto viajava fazendo shows pelo mundo. Como a conversa foi off-line, vai sempre se manter assim, o que foi conversado ficará entre eu e ele. Ademais, a ética sempre foi um pilar forte da Rádio Coringão.


Lembro que só fui conseguir dormir ao meio-dia, mas muito feliz pelo resultado do programa, com ouvintes que eram de TODOS os clubes rivais. Essa foi uma entrevista que ficou na história da Rádio Coringão, do Timão Metal e da minha vida.


Foto: Globo Esporte


Comments


bottom of page